quarta-feira, 13 de maio de 2009

FIGHT

Hoje assisti a uma luta de rua. Há muito tempo que não via uma. Agora já me lembrei o quanto as odeio.
Foi ridículo, como quase todas as lutas, uns passaram de carro e começaram a ofender os outros, saíram do carro no meio da estrada e começaram aos murros e pontapés, juntamente com facas que é para dar aquele toque final.
Ridículo. Mais que ridículo. Ali no chão a darem espectáculo para toda a gente. Claro que eu e as pessoas que estavam à volta só por estarmos ali especados a olhar também contribuímos para que aquilo se tornasse ridículo.

Até agora só tive uma luta na minha vida, no meu 4º ano a rapariga que eu mais odiava (e continuo sem gostar dela) tinha-me feito uma coisa qualquer que eu não tinha gostado no intervalo e eu quis armei-me em fixe para os meus amigos e só porque ela depois se sentou no meu lugar comecei aos encontrões nela e dai derivou uma luta nada agradável.
Eu fui a chorar para a casa-de-banho, até que alguém lá entrou e disse: "Parabéns! Ganhaste a luta". Eu não tinha ganho nada, fui apenas uma perdedora por ter feito aquela luta estúpida.

Também tive uma segunda quase luta, em que uns rapazes da minha idade se estavam a meter com o meu irmão e lhe tinham tentado bater. Naquele momento até me saia fumo das orelhas. Não fiz nada porque me impediram. Anormais.

Mas apesar de aquela ter sido a única luta em que eu entrei, sempre apanhei muito. Isto porque cada vez que vejo alguém a lutar ponho-me no meio e tento parar. Uma vez levei um soco de uma amiga minha, que queria bater na rapariga com que eu andei à luta no 4º ano, por causa disso. Outra vez estava de moletas e mesmo assim tentei por-me no meio. Levei por tabela mais uma vez.

Acho as lutas estúpidas. Acho que no final, quando a luta acaba, é completamente triste. Mas mesmo assim sinto a curiosidade de saber como é estar numa luta, saber se aguentaria, a lutar pelo meu orgulho, e se há algum motivo que justifique andar à luta...

Acho que por agora ficarei pela curiosidade. E sem nódoas negras.

1 comentário:

Leonor disse...

Andar à "batatada" tem a sua piada. Principalmente quando acertas em cheio com um soquete no "focinho" do adversário. Embora nem sempre valha a pena aleijar os nós dos dedos na "tromba" de alguém.

(Sou mesmo brega a escrever!!)