segunda-feira, 31 de maio de 2010

sábado, 29 de maio de 2010

Há que admitir as coisas.

Há pouco mais de um mês disse-o. Parei de mentir, cheguei e disse.
Porquê? Porque queria deixar de fingir ser quem não sou, queria deixar de mentir a pessoas tão importantes na minha vida, queria ser livre, queria tirar este peso de cima.
Pensei que tudo ia mudar pela positiva.

Não correu como eu tinha planeado. Não sou mais livre, não fiquei mais forte. Correu-me tudo ao contrário.
Sou ainda mais cobarde. E daqui a umas horas irei mentir outra vez.



"Posso ir sair com uns amigos?"

Nota futura:

Ao inicio acho que trabalhar sobre pressão de tempo é o ideal, pois motiva-me mais, e depois quando faltam dois dias para entregar a minha miniminiminimini tese filosófica vejo-me à rasca com tanta coisa para fazer.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Ficaria muito bem dizer que não tenho tido tempo de vir ao blog porque tenho a cabeça ocupada com tanto estudo, tantos últimos testes e apresentações, tanto stress pelos exames que estão quase a chegar.... Mas não. Infelizmente sou irresponsável e não é por nada disso.

O que me anda a dar cabo da cabeça é ter até terça feira para decidir, entre duas, a disciplina que quero ter para o ano. Não preciso de nenhuma delas para (quase) nada no resto da minha vida, é um ano e depois acabou. As duas disciplinas são:

Geologia: interessante (40%); facilidade (60%);
Biologia: interessante (65 %); facilidade (35%);


Eu não quero ir pelo mais fácil, mas melhor média dá sempre mais jeito.
Por outro lado, quero algo que seja interessante... Mas são os dois interessantes!

Como sou bastante indecisa, hoje fiz dois papeis. Um tem escrito Geologia e o outro Biologia. Dobrei-os e andam comigo.
Vou andar com eles até terça feira, à espera de perceber qual deles é que eu quero que seja a minha escolha. Se não conseguir perceber o que desejo, vai mesmo à sorte.


[Se houverem por aí defensores da Geologia e defensores da Biologia, deixem a vossa opinião. Manipulem as minhas escolha! Já estou por tudo.]

domingo, 23 de maio de 2010

Pena de morte

Toda a gente sabe do que se trata a pena capital: é uma sentença aplicada pelo poder judicial que consiste na execução de um indivíduo condenado pelo Estado.
Num debate em que estive presente a semana passada sobre este assunto, com pessoas da minha idade, a turma, infelizmente, dividiu-se em duas opiniões. Uma questão delicada mas que me parece de resposta simples, originou uma discussão enorme.

Dizem uns, a maioria, que a pena de morte deve ser aplicada, que faz falta cá em Portugal para pôr ordem. Que alguém que mata deve morrer, justiça aplicada cegamente. Que irem para a prisão para depois saírem e voltarem a fazer o mesmo está errado, mais vale mata-los ali para não fazerem mais ninguém sofrer. Pergunta-se se sabem para que serve as condenações, se sabem o que é tirar uma vida, se isso é justo e respondem coisas que não tem a ver. Voltam aos mesmos motivos de que ninguém deve matar (contradição?) e alguém que o faz deve morrer. Puros sentimentos de guerra: vingança e ódio.

Dizem os outros que, tal como os primeiros dizem, ninguém deve matar. Não deve ser quem deve ensinar e zelar pela não violência o primeiro a condenar à morte, a não dar uma oportunidade de arrependimento e de aprendizagem pessoal. Claro que revolta, claro que custa, mas não há nenhum ser humano que tenha o direito de decidir se uma outra pessoa deve viver ou morrer. Não é matando que vamos impedir que matem.


Por principio, sou contra. E faz-me muita confusão ver os futuros adultos deste pais com tanto ódio na cabeça, tanta sede de vingança… Muito mal nos espera, se assim continuarmos.
Qual é a vossa opinião?

sábado, 22 de maio de 2010

Rock in Rio 2010

Porque a Ivete Sangalo é muito boa ao vivo.
Tanto a cantar como... bem, vocês sabem. ;P

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Mas que raio!

Então mas agora o meu irmão anda a sonhar com a minha namorada e o Elton John??



Entretanto, hoje Rock in Rio ;)

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Sabem aquelas alergias primaveris (que tanta confusão me faziam em pequena, como era possível ter alergia a algo tão belo como a primavera)?

Pois. Eu preferia não saber. Estou farta de lenços, de espirrar, de comichão no nariz e de chorar por qualquer aroma mais forte.

Enquanto escrevo isto já espirrei umas 4 vezes. Estou farta.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Há que libertar as raivas acumuladas.

Sim mãe, é preciso um directo. “Todos os dias se promulgam leis e não se fazem directos.” Pois não, mas esta não é uma lei como as outras. É uma lei que trata de direitos humanos, de vidas, de liberdade e dignidade de cada um de nós. É uma lei que, promulgada, faz de nós um dos primeiros países na luta contra as discriminações para com a orientação sexual. É uma lei pela qual inúmeras pessoas, que nem eu nem tu juntas conseguimos imaginar, morreram à espera, sem a conseguirem alcançar, sem conseguirem casar (ou ter a opção de querer ou não casar) no seu país com a pessoa que amam. Vidas que foram condicionadas por o seu amor ser considerado menor. É uma lei que levou uma intensa luta, de todos os dias, muitas pessoas, sem poderem baixar os braços um único minuto, por mais cansadas que estivessem, pois há sempre alguém à espera de uma falha para atacar. É uma lei que é importante para todos os homossexuais, bissexuais, heterossexuais do mundo e especialmente de Portugal. Se eles não te interessam, ao menos interessa-te por mim. Sabias que eu queria ouvir e não me deixaste ouvir uma única palavra da merda do discurso do Presidente. Não é por não me deixares ouvir que eu vou deixar de querer casar com uma mulher. Respeito por mim, era o mínimo que podias ter.

E tu, pai, não é por aumentares o som da televisão que já vais para o céu. Se lhe dás conversa o tempo todo e não me deixas ouvir, és igualmente culpado. Só tenho uma coisa a dizer-te. Lembraste daqueles meus amigos, sim, os heterossexuais, que segundo a tua opinião (ameaças?) iam ser os primeiros a abandonar-me, a contar a toda a gente, a virar-me as costas? Lembraste? Minutos depois da promulgação vieram ter comigo os parabéns deles. Parabéns, até que enfim, mais uma vitória que ganhámos. Ganhámos. Esses traidores dos meus amigos que se incluem nas minhas lutas, e que fazem por elas, e que me amam.
Traidor és tu, que me disseste que ia ficar tudo bem para depois me atacares pelas costas como fizeste. Tu é que me traíste.



Estas atitudes só fazem adiar o dia em que os vou perdoar.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Oh Happy Gay!*

Hoje é dia de comemoração. A partir de hoje vivemos num estado mais justo e igual. A partir de hoje o casamento deixa de ser um privilégio da maioria e passa a ser um direito de todos, deixa de haver amor de primeira e amor de segunda categoria.

Hoje é o Dia Internacional Contra a Homofobia e hoje, após uma luta de muitos anos, de muitas pessoas, Portugal entra na lista dos países que permitem o casamento a casais de pessoas do mesmo sexo. Os cidadãos portugueses vão começar a verem-se reconhecidos pelo seu Estado, vão ganhar uma nova voz, vão poder dizer “Eu amo-te e caso contigo.”.

Hoje é um dia que me deixa orgulhosa, um dia em que eu agradeço a todas as vozes que se levantaram nesta luta, que também é minha. Um dia que será recordado para sempre.

Hoje é dia de festejar.
Amanhã, inicia-se outra batalha.



*Como se diz por aqui. :)
video

Usando as palavras de Fernanda Câncio:

"É: esta coisa chata, chatérrima, chama-se democracia, sr presidente. cada pessoa um voto, cada pessoa igual. igual. obrigada, mais uma vez, por marcar o dia mundial da luta contra a homofobia mostrando ao mundo que nem um homofóbico presidente pode, numa democracia, parar a luta pela igualdade."



Porque das cerca de 600 palavras que disse e que se pode ver aqui, só houve uma coisa de interesse:

"Assim, decidi promulgar hoje a lei que permite o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo."


JÁ ESTÁ! :D



Amor, deves-me 5 euros. E um beijo dos 13 meses de namoro. :)


domingo, 16 de maio de 2010

Devo confessar que começo a ficar bastante ansiosa...

O papa Bento XVI esteve cá há poucos dias, e criticou a possibilidade do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

O Sr. Aníbal Cavaco Silva é católico.

O Presidente da República, de um estado laico, tem até amanhã (até terça?) para promulgar (ou não) a alteração à lei do casamento civil, permitindo o casamento entre pessoas do mesmo sexo.



Será amanhã um dia histórico, pela positiva, para a Humanidade?

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Mas esta gente não sabe gerir o ensino português?!*

Então suspenderam a professora de Mirandela que posou nua para a Playboy?


Esperem, esperem, melhor. Suspenderam a professora que foi protagonista de uma produção ousada para a revista Playboy, em que contracena nua com outra mulher?


Mas está tudo louco? A mim nada me motivaria mais que ter uma professora destas!
Ó para mim já nas aulas a fazer exercícios e a expor as minhas duvidas! E, quem sabe, a ter umas aulas extra, que isto de aprender nunca é demais.

E depois queixam-se do insucesso escolar e da falta de motivação para a escola...



*Falando a sério, estou totalmente solidária com a professora. O que ela faz fora do local de trabalho só a ela diz respeito.
Aliás, estou tão solidária que, se ela precisar de trabalho, eu lhe peço explicações. Que seja de música.

Durante quatro dias a hipocrisia reinou neste país,

Já podem voltar a ser os mesmos pecadores de sempre.



...o papa Bento XVI nesta altura já não vos consegue ver, mas o vosso Deus consegue.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Dizia um comentador da TV que o papa Bento XVI sabia que o Presidente da Republica era católico, mas que também sabia que este tinha promulgado a lei da despenalização do aborto e que tinha actualmente em mãos a lei referente ao casamento entre pessoas do mesmo sexo para promulgar, ou não. E que estes seriam, provavelmente e segundo o comentador, assuntos a serem falados entre os dois.



Ora, se estes forem assuntos falados, espero que o papa Bento XVI seja uma pessoa com cabeça (se tem tantas pessoas que acreditam nele cegamente, é porque terá alguma coisa de bom, não?) e que defenda as verdades do amor e da igualdade, para todos.
Afinal, foi o que o seu Jesus (não o do Benfica) veio, supostamente, cá à terra fazer, não foi? Partilhar mensagens de amor. Amor, apenas isso.

Tenham isso em atenção, senhor Joseph Alois Ratzinger e Sr. Presidente.
Façam algo de bom pelo mundo, já que tem poder para isso.

domingo, 9 de maio de 2010

Só tenho uma coisa a dizer

BENFICAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

Os meus hábitos de estudo são uma treta.

"Quando penso em estudar penso sempre: "Vou esperar pelas 14.30". Parece-me uma boa hora, depois do almoço, já tive tempo para descomprimir um bocadinho. Espero, espero, e quando vejo já passou das 14.30.
"Vou esperar pelas 15.00, não vou começar a estudar a horas incertas, não é?". Volto a esperar, reparo que está a dar um filme. Começo a ver o filme até ao intervalo.
Já passa das 15. "Já agora espero até às 16..." 16 horas, vou estudar. 16.30, tenho fome. Levanto-me e vou comer, faço uma pausa.
Quase 17 horas e vou tomar banho. Ligo o messenger e começo a falar.
Quando dou por mim já são 20.00. "O que raio é que fiz a tarde toda?! Estudo depois do jantar."
21.00, começo a estudar. Tenho tanto que estudar.... Fico sem vontade. Preciso de musica.
22.30, vou arrumar as coisas para o dia seguinte. Não fiz nada do que queria fazer.
Vou-me deitar e fico a pensar como é que se passou mais um dia em que fiz zero."


Entretanto, são quase 14.30. Vou ver se estudo.

sábado, 8 de maio de 2010

Depois de quase dois meses a pensar que tema haveria de escolher para trabalhar em Filosofia, lá me decidi.


Liberdade.


Quando foi a ultima vez que se sentiram livres para dançarem e cantarem à chuva no meio da rua, sem medo do que outros pudessem achar?

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Após muitos anos (lol, nem a minha idade é "muitos anos", quanto mais..) sem lá ir, hoje fui à feira do livro.

Devo admitir que estava com esperança de encontrar este pessoal lá, para ter uma conversa com eles. Até já sabia o que lhes ia perguntar. Tenho mesmo curiosidade se eles acreditam mesmo naquilo que dizem, ou se é mesmo uma fase de negação profunda. Infelizmente não tive a oportunidade de os ver. Deviam estar a fazer propaganda para esta outra idiotice.

Nunca me vi rodeada de tantos livros sobre o Papa, mas, fora a chuva, o resultado final foi bom.
Um livro, uma tarde bem passada e um óptimo cupcake ;)


Aconselho a irem à Feira do Livro, e se encontrarem os senhores acima referidos (é fácil de identificar: pessoas a distribuírem panfletos com o titulo: "A guerra ideológica contra a família: Homossexualismo"), vão ter com eles. Coitados, não têm culpa de serem idiotas. Levem-os a passear, dêem-lhes festinhas. Mas cuidado, eles mordem.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Eu sou uma pessoa com muitos planos


Um dia vou-me tornar lactovegetariana.


Ao que responde a minha namorada "Tu? A pessoa que não come legumes? Ahahaha!"

terça-feira, 4 de maio de 2010

Há coisas fantásticas

Somos um cérebro numa cuba?


Eis uma possibilidade de ficção científica discutida pelos filósofos: imagine-se que um ser humano (pode imaginar que é você mesmo) foi sujeito a uma operação por um cientista perverso. O cérebro da pessoa (o seu cérebro) foi removido do corpo e colocado numa cuba de nutrientes que o mantém vivo. Os terminais nervosos foram ligados a um super-computador cientifico que faz com que a pessoa de quem é o cérebro tenha a ilusão de que tudo está perfeitamente normal. Parece haver pessoas, objectos, o céu, etc..., mas realmente tudo o que a pessoa (você) está experienciando é o resultado de impulsos electrónicos deslocando-se do computador para os terminais nervosos. O computador é tão esperto que se a pessoa levantar a mão, a retroacção do computador fará com que ela "veja" e "sinta" a mão sendo levantada. Mais ainda, variando o programa, o cientista perverso pode fazer com que a vítima "experiencie" (ou alucine com) qualquer situação ou ambiente que ele deseje. Ele pode também apagar a memória com que o cérebro opera, de modo que à própria vitima lhe parecerá ter estado sempre neste ambiente. Pode mesmo parecer à vitima que ela está sentada e a ler estas mesmas palavras sobre a divertida mas completamente absurda suposição de que há um cientista perverso que remove os cérebros das pessoas dos seus corpos e os coloca numa cuba de nutrientes que os mantém vivos. (...)
Putnam, H.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

4 até é o meu número favorito

Estipulei 4 dias.
4 dias de choro, de sofrimento, de deixar que me fizessem sentir mal, de por em causa os meus valores, as minhas atitudes, até quem eu sou.
4 dias em que fui discriminada e negada como nunca antes tinha sido.
4 dias.

Hoje, acordei novamente com um sorriso. Com o meu sorriso.

domingo, 2 de maio de 2010

E foi hoje que a minha namorada me partiu o coração

- Golo!

- Quanto é que está?

- 0-1, ganha o Benfica.

- Eu gostava que ficasse empatado. Quer dizer, eu gostava mesmo era que o benfica perdesse. Mas isso implica o porto ganhar. Por isso prefiro um empate.

- Retira o que disseste!

- Nop. :P Viva Braga, a idolátrica, o esplendor!

Para este blog não ficar muito deprimente




Ontem fui pela primeira vez jogar paintball.
Antes de ir achava que ia odiar, que não ia conseguir disparar contra ninguém, não queria matar ninguém, que preferia que me atingissem do que atingir alguém.

Agora, adorei aquilo! Sou óptima a correr para a base inimiga, tenho boa pontaria, rebolo-me nas ervas todas para não ser atingida e consigo achar os tesouros! E como até corro rápido, consigo fazer os outros renderem-se, não precisando assim de os matar, o que é óptimo para a minha consciência ;)

Dessa tarde de paintball resultaram umas 4 ou 5 valentes nódoas negras, mas muito divertimento e esquecimento dos problemas, que era o que eu precisava.

Aconselho a irem!

sábado, 1 de maio de 2010

Devemos ficar ao lado das pessoas que amamos, sermos compreensivos e tolerantes, mesmo quando elas nos fazem sentir as piores pessoas do mundo, sem razão?

Durante quanto tempo?