domingo, 28 de fevereiro de 2010

continuo uma treta a jogar snooker

Há um ano atrás a minha vida começou a ficar mais bela.
Há um ano atrás vi-te pela primeira vez.

Amo-te cada vez mais. :)

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Escolas Públicas vs. Colégios Privados

No outro dia estava a conversar com mais duas pessoas, uma delas andou sempre em colégios privados e a outra sempre colocou os filhos em colégios privados. Falava-se da segurança nas escolas públicas comparando com os tais colégios privados, por ter acontecido uma situação de miúdos a entrar em coma alcoólico durante o tempo de aulas, nas redondezas da escola, pública. Diziam elas que graças a Deus que existem colégios privados, que há mais controle, mais respeito, menos rebeldia, menos problemas.

Ontem estava a falar com um colega meu que veio este ano para a minha turma, vindo de um colégio privado, e o seu maior receio era de ficar numa turma de drogados e ladrões. Só porque ia para uma escola pública.

Estes estereótipos de que os alunos das escolas públicas são uns pobres, mal-educados, burros, arruaceiros, e tudo aquilo que uma sociedade de bem deve de excluir, e de que as escolas públicas são uns espaços onde, inconscientemente, incentivam a comportamentos que a sociedade não deseja, dá-me, a mim que toda a vida andei em escolas públicas, a volta à cabeça.

É verdade que nos colégios há muito mais controle que nas escolas públicas – eu podia sair da escola, mesmo sem autorização dos pais, e ir ao café mais longe da zona (que era onde vendiam as gomas) que ninguém dizia nada.

Mas isto de não haver controle não quer dizer nada, cada um sabe de si. Na minha antiga escola (que um ou dois anos antes de eu ir para lá foi considerada a pior do país) os meus colegas vinham cá para fora fumar, eu acompanhava-os mas nunca fumei. Tinha colegas meus que, uma ou duas vezes, compraram álcool para irem beber antes da aula e eu não bebi. Tinha colegas meus que queriam faltar às aulas, e muitas vezes faltavam, eu não. Tinha colegas meus que até iam aos chineses mais próximos roubar balões de água, e eu nunca fiz isso. Tinha colegas (eram poucos) que faltaram ao respeito ao professores, e eu nunca fiz isso, até mantenho ainda contacto com alguns. Havia de tudo, e agora muitos deles já não fazem estas coisas. Por isso não me parece que seja o tipo de escola onde andamos que faz de nós quem somos, ou que nos leva a fazer algo.

Agora, os meninos de bem dos colégios privados, mal tem uma oportunidade em que não são controlados, embebedam-se, drogam-se, roubam, fazem mil e uma coisas, tudo de uma vez, e vão parar ao hospital de tão mal que estão.
Acho que é esta a grande diferença: nas escolas públicas pode-se fazer tudo, mas nem tudo se faz. Nos colégios privados não se pode fazer nada, mas faz-se tudo às escondidas. O fruto proibido é o mais apetecido.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Há pessoas com muita coisa reprimida



O que me chateia não é este pessoal fazer marchas contra o casamento de pessoas do mesmo sexo pelo referendo sobre o casamento de pessoas do mesmo sexo.

O que me chateia não é este pessoal achar que os homossexuais não podem ter família, nem casar, nem ser mais felizes que eles, nem viver, ...

O que me chateia é eles estarem a usar as nossas músicas e as nossas cores!

Então mas estes homofóbicos vão para a marcha deles com balões e cartazes de todas as cores do arco-íris, e ainda por cima põem a tocar e fazem vídeos com a música "We Are Family" das Sister Sledge? Que só por acaso está no top 50 das canções mais gay de sempre! Vão ver ;)

[Quase que me dão pena, alguém que lhes diga o ridículo que são.]

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Assim é que se vêem os amigos!


Tenho uma amiga que sabe, há pouco menos de um ano, que namoro com uma rapariga. Quando lhe contei foi um bocado traumático. Desde aí que não falávamos disso, ela ignorou completamente o assunto e fingia que não sabia. Don't ask, don't tell. E assim foi durante quase um ano.

Mas hoje, hoje!, ela vira-se para mim muito chocada numa situação particular e diz:

"B! Não podes olhar para outras pessoas! És comprometida!"


Agora já sou comprometida?! Olhem-me esta!! Para falar comigo sobre a minha namorada: nada! Mas para me impedir de olhar para professoras-lindas-novas-com-cabelo-preto-pele-clara-um-decote-bastante-apelativo-e-um-ar-tão-inteligente-e-séria, já é amiga!

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Eu já nem falo nos homens

Mas como é que em pleno século XXI ainda há mulheres que pensam que têm de ser as escravas dos homens?

Têm de lhes fazer o que eles pedem especificamente para o almoço, se não há em casa levantam-se às 5 da manha para irem à praça comprar o melhor, servir o almoço à hora certa, e se por acaso fica cozido de mais, ai-que-o-senhor-não-vai-gostar, toca a fazer de novo que ele nem estrelar um ovo sabe.

Têm de lhes lavar, passar, estender, apanhar a roupa; e ainda tem de ter atenção se ele não anda sujo, porque coitado, o senhor não sabe ver se as mangas estão com molho de tomate. E se ele vai para a rua assim ai-jesus-que-a-culpa-é-minha!

Têm de limpar a casa toda, que não é só delas, sozinhas, e nem pensar em contratar uma empregada!, para que é preciso isso se a função da mulher é ser a escrava particular?, mesmo que já tenham uma idade que lhes confere dificuldades físicas. E se a casa não está limpa para receber os convidados do senhor que aparecem sem avisar e que vão para lá ficar a noite toda a beber e a sujar tudo com tremoços, ainda levam!

Têm de respeitar a vontade do senhor, como se fosse o seu Deus. Se ele está chateado, elas tem de estar caladas, se ele está amuado, elas tem de estar caladas, se ele está a ver futebol, elas tem de estar caladas e irem servindo cervejas, se ele diz que é assim, elas tem de abanar a cabeça (atenção, sem falar!) e concordar com eles.

E pior!, têm de aceitar que eles tenham as amantes todas, porque um homem que é Homem tem de ter as suas aventuras e os seus filhos lá fora. E se tal situação, de serem apresentadas às amantes, acontecer, têm de sorrir e portarem-se como donzelas que são. Aturar tudo de boca fechada e com um sorriso falso nos lábios.



[São tudo situações que eu conheço, de pessoas reais, de mulheres que pensam que é assim que tem de ser.]

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Numa relação há divergências, e por isso mesmo fazem-se votações

Como sou uma miúda porreira, vou juntar o útil ao agradável e pedir-vos a vossa opinião sobre estas três mulheres.
Basta comentarem e dizerem qual é mais.... mais tudo! A mulher que nunca se fartariam de ter ao vosso lado. É fácil e são mulheres, é sempre bom de apreciar não? ;)

Então cá vai:


Opção 1 - Sarah Shahi







Opção 2 - Rachel Shelley



Opção 3 (e sem querer estar a influenciar) - A fantástica, a incrível, a perfeita Jennifer Beals








A minha escolha? Vamos por partes.
A Sarah Sahi tem aquele ar de latina irresistível, uns lábios perfeitos, e um corpo... bem, fantástico.
A Rachel Shelley tem aquele sotaque, aquele ar de mulher com classe, e aqueles olhos...!

Mas a minha escolha é sem duvida alguma a Jennifer Beals.
Tem muito mais classe que a Shelley e é muito mais irresistível que a Shahi... Ela é tão bela, tão atraente, tão mulher!
Ai ai... como é bom gostar de mulheres...

E para vocês?

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Eu não sei como é que as donas de casa (desesperadas) fazem

Mas estou há meia hora a tentar substituir as penas ou lá como se chama de um espanador!
Eu sei, eu sei, falta de jeito.... Mas não fui feita para estas coisas. Até acho que sou alérgica ao pó!


A única coisa q eu gosto é de aspirar e fingir que estou a tocar guitarra. Ponho os meus Queen a tocar e começo a imitar Freddy Mercury. A verdade é que passada meia hora ainda não aspirei nada...



domingo, 14 de fevereiro de 2010

Um dia rebolamos na relva




E nunca hei de me cansar de te amar.
Para sempre, Amo-te. :)

Propaganda III

Já que a Catarina Boto não pode ganhar os Ídolos, que ganhe a Diana! Agora que não vença o Filipe... O rapaz cansa-me um bocadinho.




A Diana faz tudo, ela dança, ela canta, ela vibra, ela grita, ela encanta! Ela fica bem de botas e fica ainda melhor de vestido.
E o Filipe?? Por acaso fica bem de vestido??



E amo-te mais infinitas vezes.


Amo-te.

INVICTUS


Muito bom. Como se a história não fosse por si só suficientemente boa, tem uma maravilhosa banda sonora, e é com o excelente actor Morgan Freeman.


"(...)I am the master of my fate:
I am the captain of my soul
."

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Não é que eu não queira que o meu irmão não namore.... mas pensei que isso ainda ia demorar.

A minha recente vizinha do lado está apaixonada pelo meu irmão. Manda-lhe bilhetinhos - por vezes sou eu que tenho de fazer de correio, quando a encontro -, mensagens pelo telemovel/msn, e até abre a janela de minha casa para se por a chamar pelo meu irmão e ficarem a conversar (e eu moro num 8º andar!)!

Por vezes, quando fico eu a falar com ela por o meu irmão já estar um pouco farto, ela diz-me que não consegue viver sem o meu irmão, que nunca vai gostar de outra pessoa - a rapariga tem uns 10/11 anos.
Mas as coisas que me deixam assim numa posição estranha é quando ela diz que o meu irmão é todo bom!, que se for preciso entra pela minha casa a dentro para dar lhe dar um beijo!

Mas ora bem, é o meu irmão!! O meu irmão mais novo que eu tenho de proteger e que nem pensa nas pessoas dessa forma... !


Mas depois entra a parte que me custa mais, quando a rapariga chega ao pé de mim com lágrimas nos olhos - um dos meus pontos fracos é ver miúdas tristes... - a dizer que o meu irmão não gosta dela. Aí lá tenho eu que ser compreensiva, dizer-lhe que está tudo bem, e bla bla bla. Fico com pena da miúda, e esqueço que de quem ela gosta é o meu irmão e digo que ele não a merece. (Mais uma vez, vale a pena referir que ela tem 10/11 anos)

Ai ai... estes amores platónicos.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Nelson Mandela




Após 27 anos preso por defender aquilo em que acreditava - igualdade - saiu com um sorriso na cara, e pronto a perdoar.
Grande Homem. Nelson Mandela.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Eu não queria fazer publicidade a pessoas e causas sem princípios, mas é de uma ignorância tão grande que quase que dá pena (e vontade de rir)

"MANIFESTO


Quem faz a Família?
Quem educa as crianças?
Quem faz o Casamento?

Quem
constrói a solidariedade?
Quem aposta na maternidade e na paternidade dignas?
Quem ensina nas escolas?

Quem trabalha e gera riqueza?
Quem faz a história?
Quem decide o Futuro da Sociedade?


Tu e Eu. Homem e Mulher. "
(clicar no manifesto para ir ao site.)

Então, mas esperem lá para ver se percebi bem.

Família não são aqueles que amamos e que nos amam, que queremos ter ao nosso lado nos momentos maus e nos momentos bons, com quem nos sentimos bem, que nos apoiam independentemente de tudo? Sejam eles heterossexuais ou homossexuais?

Quem educa as crianças não são os adultos, adultos esses que querem o melhor para as crianças e estão preocupados única e exclusivamente com o bem dessas crianças, ensinando-lhes o que é o bem e o mal, que ensinam que o fogo queima, até que lhes ralham quando fazem algo de mal? Sejam estes adultos heterossexuais ou homossexuais?

Quem aposta na maternidade e paternidade dignas não são os homens e mulheres que desejam ter filhos e ama-los, e cuidar deles, e educa-los, e zelar sempre pelo seu bem, e estar ao seu lado para sempre independentemente de tudo o resto? Sejam estes homens e mulheres, heterossexuais ou homossexuais?

Quem ensina nas escolas não são os professores, formados para tal, e que aquilo que desejam é que nós consigamos perceber os conhecimentos que eles nos transmitem? Sejam estes professores heterossexuais ou homossexuais?


Quem faz a história não são os homens e mulheres à frente no seu tempo, que contra todas as maiorias e poderes souberam ver a razão das coisas e dizer que algo tinha de mudar? Que lutaram pelos seus ideais, que visavam o bem da humanidade? Fossem eles heterossexuais ou homossexuais?


Não? Bem... Algo na minha cabeça deve estar mesmo mal por achar que a igualdade é algo que nem deveria estar em questão. Como eles dizem, devo ter um lugar reservado no inferno por querer justiça. E é bem feita, quem me manda a mim querer o bem da humanidade?

Há quem diga que é dificil

Qual é a dificuldade das pessoas em pedir desculpa?


Se estamos arrependidos pedimos desculpa, e esperamos por tudo que a pessoa a quem nos dirigimos nos perdoe. Não é assim tão difícil.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Matthew Shepard

Não conhecia a história de Matthew Shepard,* rapaz de 21 anos que foi torturado e morto por ser homossexual.

Matthew saiu dum bar de universitários pouco depois da meia noite de 7 de Outubro acompanhado com dois homens que lhe tinham dito que eram homossexuais. Foi levado para uma zona remota, amarrado a uma cerca, torturado, espancado, incluindo com uma pistola. Foi então abandonado pelos seus atacantes. Um ciclista encontrou-o às 18:22 do dia seguinte, tendo confundido-o com um espantalho. Matthew estava inconsciente e com hipotermia. A face coberta de sangue. Segundo os médicos Matthew tinha uma fractura desde a nuca até a frente da orelha direita e um traumatismo craneano que aftectou os seus sinais vitais. Além disso tinha cerca de 12 lacerações em diversos pontos da face e pescoço. O seu estado era tão grave que não houve sequer possibilidade de operar. Matthew faleceu no hospital às 12:53 do dia 12 de Outubro de 1998.



*Quantos Matthew Shepards é que já não houveram e continuam a haver...?

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Regras de etiqueta à mesa



E quando vamos a casa de alguém, e nos apresentam uma refeição horrível? Que por mais esforço que façamos, não conseguimos comer?

Se não como pode ser entendido como uma ofensa, mas se como, arrisco-me a ter uma dor de barriga enorme!



[O que vale é que nessas alturas há sempre um McDonalds ao pé]

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Talvez por sempre ter tido uma vida perfeita*

Um rapaz, 23 anos, capitão da equipa de natação, acabado de se formar, manda-se de um prédio.


*Mas não consigo entender.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

E não faço cabulas desde o 9º ano

Uma vez soube das perguntas de um teste antes de o fazer. Claro que a primeira coisa que fiz foi resolver os exercícios em casa, e tirei óptima nota nesse teste. Que contou bastante para a nota final.
Durante uma semana tive pesadelos com a stora, sentia-me mal cada vez que a via e ficava nervosa. E depois pedi-lhe desculpa. [Não confundir esta atitude com dar graxa; poderia ter sido prejudicada, mas achei que era o correcto.] Atrás de mim foram um ou dois, mas não mais do que isso.

Reparei aí que sou das poucas pessoas, daquele meio escolar, que se preocupam com o que fazem. Que a maioria das pessoas pensa no que quer obter; e não olha a meios para lá conseguir chegar (até a graxa, como estava a dizer, vale).

Devo confessar que isso me faz uma certa confusão. Nunca fui adepta dos caminhos fáceis, que não exigem muito de nós. Até porque qual é a piada de atingirmos os nossos objectivos quando eles nos caiem do céu?


Prefiro dar tudo de mim quando quero alguma coisa. Depois até posso apanhar uma desilusão do tamanho do mundo, mas pelo menos é tudo mérito meu.
E se, por outro lado, consigo o que quero, é uma sensação óptima.