terça-feira, 12 de janeiro de 2010

O mundo deveria de ser perfeito, mas não é.

Os LGBT são uma minoria e não lutam assim à tanto tempo quanto lutam, por exemplo, as mulheres(corrijam-me se estiver enganada). E têm muitos outros factores que prejudicam esta luta - que não deveria de haver - pelos direitos humanos.
Mas por outro lado, podem esconder aquilo que são e não lutam com tanta força. E estes dois últimos pontos são da nossa inteira responsabilidade.


Quantos de nós vivemos o dia a dia escondidos, com medo de sermos olhados de lado?
Quantos de nós agimos como se fossemos mesmo diferentes?
Quantos de nós ouvimos opiniões homofóbicas e não dizemos nada?
Quantos de nós escondemos quem somos?
Quantos de nós não vão às marchas, só porque não tem paciência?


A luta faz-se todos os dias, a todos os momentos. E provavelmente os homossexuais sempre serão discriminados - se as mulheres que são uma maioria o são, mais facilmente os LGBT serão - mas essa discriminação irá agravar-se se não fizermos nada.

Se neste momento o casamento e a adopção, e todos os outros Direitos que devíamos de ter, não os temos, deve-se em grande parte a nós, LGBT.
Por isso, antes de dizermos que ninguém nos respeita e essas coisas, devemos pensar o que é que fizemos hoje pela nossa luta.





P.S- Em parte, este post é uma critica (também) a mim, que todos os dias poderia fazer muito mais.


[O post foi alterado, inicialmente começava com esta parte]

A luta pela pela igualdade das mulheres começou há muito tempo atrás.
A mulher era inferior ao homem, e ponto final. Era isto que se pensava e por mais que se fizesse continuava a ser.

Tiveram de lutar bastante, todos os dias, toda a vida. Muitas morreram, muitas foram presas, muitas torturadas.
Até que em 1945 a igualdade de direitos entre homens e mulheres é reconhecida em documento internacional, através da Carta das Nações Unidas. Mas a luta não acabou aí - ainda mal tinha começado.
Mesmo sendo reconhecida, na teoria, a igualdade entre mulheres e homens, na pratica não é isso que se verifica.
As mulheres são ainda nos dias de hoje vitimas de discriminação, e não é pouco.
Mas não baixam os braços, cantam a uma só voz e lutam todos os dias sem esconder aquilo que são.
E isto, esta discriminação, passa-se com uma maioria!, que luta há muito, muito tempo. Não é justo, mas é verdade.

Sem comentários: